O trabalho social que ninguém vê


Muita polêmica vem sido gerada depois da eleição da Karina Pirillo a vereadora. Vamos colocar os pingos nos is? Afinal, qual o problema?

O fato da campanha e proposta ser toda voltada à causa animal não significa que ela não goste de humanos ou vá se abster de aprovar projetos para a população. Pessoal por favor, reflitam.

Na câmara sabemos que há democracia. Se crio um projeto precisarei dos demais para aprovarem. Certo? Assim, um depende do outro. O que não queremos é que a mídia faça intrigas a ponto de isolar a Karina como se todo protetor fosse um louco, bicho do mato alienado do mundo. Parem com isso. Nem bem ela assumiu e já estão criticando? Foi uma escolha dos mogianos. Tanto ela como seus eleitores merecem ser respeitados.

Que fique bem claro. Os projetos que ELA apresentará enquanto vereadora serão voltados sim á causa animal. Mas é óbvio que ela participará ativamente de discussões sobre as outras prioridades para Mogi que serão apresentadas pelos outros vereadores. Ela apenas declarou que não irá apresentar projetos de outras áreas (até porque terá que correr contra o tempo pois há muito o que fazer pelos bichos) mas não deixará de acompanhá-los e aprovar quando benéficos á população. Todo vereador precisa ter foco. Se cada um focasse com mais afinco uma área tudo seria melhor. Tem que apresentar projetos, cobrar, correr atras… fazer acontecer!

Quando vereadores declaram que lutarão pelo esporte, legal, bacana… ninguém pergunta do resto. Basta falar que o assunto é bicho que a coisa muda de figura. Surge um alvoroço de críticas e discussões.

Queremos que a população fique do nosso lado. Que acompanhe nosso trabalho. Vamos fazer jus à confiança dos 5011 votos. Tenham certeza que elegeram uma pessoa idônea, fiel aos seus principios e muito empenhada em fazer o melhor de si pelos bichos e também pelas pessoas. Por que não? Se sabemos que animais na rua causam também problemas aos seres humanos? É caso de saúde pública.

Na época de campanha eleitoral, por muitas vezes “furei” com a Karina pois enquanto um grupo da ONG ajudava a divulgar sua candidatura eu coordenava um outro grupo para que nossos projetos não parassem. Fizemos atendimento veterinário a mais de 50 cães no sítio do Sr Antonio (e levamos todos os seus cães machos para castrar), dois mutirões de limpeza na D. Irene (sendo que conseguimos castrações para 38 de seus gatos), continuamos a ajudar a D. Tereza com seus gatinhos, buscamos mais gatos (9) na D. Maria lá no Jd Layr para castrar no mutirão que conseguimos com a zoonozes… Enfim, trabalhamos bastante, fora as feiras de adoções, resgates de cães e gatos que toda a galera da ONG fez sua parte.

Quando ajudamos os animais dessas pessoas (carentes e boa parte já idosas) estamos cumprindo nosso papel social tambem com os seres humanos.

Vejam bem, a D. Irene e o Sr Dito por exemplo, tivemos que alugar uma caçamba e tirar os velhos móveis da casa. Conseguimos doação de nova cama, colchão, limpamos o local. E sabe porquê? São pessoas discriminadas pela sociedade. A primeira coisa que vizinhos fazem é criticar por ter muitos bichos. E olha que a casa é telada e eles são um casalzinho de idade bem avançada. Mas ninguém bate á porta para saber se passam necessidade, por que tem tantos animais… É mais fácil criticar né? Mas graças a Deus conseguimos castrar todos os seus bichinhos e não mais procriarão. Nos resta agora o trabalho de doação destes animais. E ainda nos comprometemos a doar ração todo mês para ajudar (nós voluntarios fazemos “vaquinha” para isso).

A D. Tereza, da primeira vez que estive em sua casa (no Jd Santos Dumont), cerca de um ano atrás, tinha entre os treze, cinco gatas fêmeas que procriavam uma cria após a outra. E ela sofria por não ter como cuidar de tantos gatos. Hoje elas estão castradas e ajudamos com um saco de ração de 25k todo mês. A D. Irene fica feliz porque tem amor aos seus animais. E hoje está tudo tranquilo, não entram mais no cio e não dão cria. Buscamos de lá também um cãozinho idoso que estava com o pênis tomado por bicheiras e foi cuidado por nós, hoje ele está bem é um cão muito amoroso e grato.

Eu poderia citar muitas outras historias. Muitas outras pessoas que, por intermédio de seus animais, foram por nós ajudadas. Historias estas que não divulgamos constantemente pois não fazemos para aparecer, mas sim para cumprir com nosso papel de cidadãos. Hoje fiz questão de relatar para mostrar que o trabalho que desenvolvemos é sério e envolve sim pessoas. E sempre vai envolver. Até quando doamos animais em nossas feiras. Além de salvar um animal da rua, damos alegria para uma familia que leva para casa um novo amigo, um novo membro.

Talvez a diferença de nós protetores é que tratamos os animais com a mesma consideração que se deve ter por um amigo, por alguém muito querido. Nós respeitamos toda a forma de  vida e não os vemos como seres menores ou menos importantes.

Sei que escreverei ainda muitos textos para defender a ONG, a Karina, a causa… afinal, estamos sendo bombardeados por críticas e até que se tenha uma acessoria para isso vocês terão que me aguentar rsrs…

Falando sério pessoal? Antes de julgar, venha nos conhecer. Estamos abertos a conversas, que conheçam nosso trabalho e idéias. Vamos lutar juntos para Mogi virar uma cidade referência na causa animal. Será um belo cartão postal para todos nós. E encherá os mogianos de orgulho.

Estamos juntos!

Abraços,

Fernanda Moreno

3 Respostas so far »

  1. 1

    […] enquanto eles próprios não mexem uma palha. Aí a Fernanda, que é voluntária na ONG, escreveu um texto legal contando um pouco do que eles têm feito não só para os animais, mas para pessoas também. […]

  2. 2

    Mariana said,

    Parabéns!!!!!!
    Karina,se Deus quiser essa é apenas uma das vitorias que você ainda vai conquista com essa bela iniciativa.

  3. 3

    caruja said,

    Meu nome e Ricardo Lopes sou ex volutario da ong adote ja, a Karina gosta de coisas eticas e certas, falar que ela nao gosta de pessoas, e que nao conhece o grupo que trabalha com ela, imagina ela e uma evangelica que nao gosta de pessoas trabalhar com um agnostico caso eu, e vim falar que ela nao gosta de pessoas, para por ai, alem de ela gostar de pessoas ela nao tem preconceito, uma frase que ela mesma me disse, admiro todos aqueles que querem lutar pelo animais, mas eu a admiro pois um dia desejo ser igual a ela.
    BY ricardo lopes fui volutario por 5 anos.


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: